SÃO PAULO CANALHA CLUB

 

Sampa. Chuvas torrenciais, problemas costumeiros com alagamentos e transportes e um calor infernal. E a previsão para os próximos dias é deveras MOLHADA.

Um acúmulo de vícios de administração,e planejamento e gerenciamento urbano pífio. A maior mancha urbana do planeta que produz 38% do PIB nacional, administrada por patifes e seus conluios de interesses escusos multimilionários, insensíveis às necessidades da coletividade.

Não diria que o dinheiro do contribuinte é desperdiçado. A verba pública aqui é, pelo contrário, parcimoniosamente aplicada em tudo aquilo que possa retornar numa dilatada margem investimento/lucro para os grupos de interesses e favorecimentos.

Em suma: poderia ser aplicada EM BENEFÍCIO DA COLETIVIDADE, e não de uma meia-dúzia de safados desprovidos de caráter. Aliás, como ocorre em praticamente todos os municípios brasileiros. É a festa do caqui com o dinheiro alheio.

Sabe, o cidadão está numa zona de conforto, Ele próprio mama nas túrgidas tetas do governo, através de seus inúmeros benefícios e salários e bolsas de todos os títulos possíveis. Para ele, se está dando pra “pagar a prestação, pôr gasolina no 1.0 comprado com salário-família e tomar a cervejinha”, tudo vai bem, muito bem.

Joseph de Maistre pregava numa frase frequentemente atribuída a Voltaire e a Hobbes que o povo tem o governo que merece. Se cremos não merecê-lo, ora não somos povo, ora não somos maioria.

KDF

 

Advertisements